Publicidade



Nesta segunda feira (03) foi a reinauguração do espaço onde fica a cozinha do Centro de Ensino Infantil da Candangolândia (CEIC), o local foi totalmente revitalizado através da destinação de emenda do deputado distrital Hermeto (MDB), no valor de 50 mil reais.

Por conta do isolamento social a inauguração contou apenas com os gestores da escola e o deputado Hermeto que se emocionou com o vídeo preparado pela escola como agradecimento à verba destinada que possibilitou a realização da reforma. No vídeo alunos pais, professores e funcionários agradeceram a ação.

Na cozinha foram trocados os azulejos, a bancada de mármore, os armários antes antigos foram substituídos por marcenaria feita sobre medida com estantes de vidro. A sala que serve de copa e espaço para os professores guardarem seus pertences também foi reformada e agora está mais adequada às necessidades dos servidores. E o depósito de alimentos teve um aumento no espaço e recebeu prateleiras novas, melhorando a organização e disposição dos alimentos.

Cozinha CEIC

“Antes a copa não tinha nenhuma pia para os professores lavarem seus alimentos ou marmitas, muitos optavam por não comer no local por falta de estrutura adequada. O local agora está mais agradável tanto para os alunos quanto para os professores. ” Afirmou a diretora da Escola Maria Rosa.

Além dos itens citados acima o portão do refeitório também foi reformado pois estava muito deteriorado desde a última enchente.

 

Em 2019 Hermeto destinou também 50 mil reais que foram utilizados para reformar e revitalizar o refeitório, local onde as crianças fazem suas refeições. Agora a área de alimentação está completamente reformada e aguarda a volta das aulas.

“Tenho muito a agradecer o carinho e a dedicação tanto da diretora Regional Ana Maria, quanto das diretoras da CEIC, tudo o que fazemos é uma ação conjunta. Ver o lindo trabalho que foi realizado com a emenda é emocionante, dá gosto de ver! ” Completou Hermeto.




O pedido visa ocupar as vagas dos aprovados que já estão realizando o Curso de Formação no CBMDF

Muitos candidatos deste concurso em andamento na Polícia Militar Distrito Federal (PMDF), atingiram seus objetivos em duplicidade, tanto para o quadro de combatentes, quanto para o de músicos. Acontece que alguns já estão participando do Curso de Formação de Praças (CFP) da turma “C” em andamento no Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) e, outros convocados para turma “D” do CBMDF, que foi suspenso.

                Sabe-se que é grande a defasagem de efetivo na Banda de Música da PMDF ocorrida pela falta de concurso público nos últimos dezesseis anos para seu quadro e, por conta disso o Deputado Hermeto realizou consulta e solicitou que:

“a) Optando pela condição de iniciar o curso de formação como combatente na PMDF ou no CBMDF, SOLICITO que o comando da Corporação convoque a sequência de aprovados no certame (músicos e corneteiros) para o preenchimento das 24 (vinte e quatro) previstas no Edital nº. 22/DGP -PMDF, de 24 de janeiro de 2018;

b) SOLICITO, a publicação de novo edital para o preenchimento dos claros existentes nos quadros de músicos e corneteiros, tendo em vista que fora confeccionado para suprir a necessidade do efetivo da banda de música daquela época, está defasado, pois o almanaque (relação de praças policiais militares, atualizado em 30/06/2020) nos determina que tenhamos em seu efetivo de Praças Policiais Militares Especialistas Músicos – QPMP-4 (09 claros para SD) e, para Corneteiros – QPMP-7 (24 claros para SD).”

 A consulta foi feita ao Comando Geral da Corporação que assim esclareceu:

                “Informo a Vossa Excelência que se encontra no planejamento do Departamento de Gestão de Pessoal da Corporação a publicação de outros editais objetivando o completamento das vagas disponibilizadas pelo DEC, para que tenhamos o Curso de Formação ocupado em sua capacidade máxima de 500 (quinhentos) alunos, sendo 475 Combatentes e 24 + 1 (sub judice) Músicos/Corneteiros.

                Portanto, caso este primeiro chamamento realizado por meio dos Editais 98, 99 e 100 não complete os números acima declarados, em virtude de faltas, eliminações e desistências, novos editais serão publicados até a data limite de início do curso, chamando os demais aprovados, conforme ordem de classificação, até que se atinja o número de 500 (quinhentos) alunos.

                Desta forma, o pleito do ilustre Deputado já está contemplado no planejamento da Corporação.

                Sem mais para o momento, renovo os protestos de elevada estima e distinta consideração.

Atenciosamente,

JULIAN ROCHA PONTES – CEL QOPM”

Por Larissa do Vale




Local é muito utilizado pela comunidade para prática esportiva e projetos sociais. E recebeu este ano os primeiros trabalhos de manutenção desde sua inauguração, em 2012

Localizado na entrada da Candangolândia, o Campo sintético do Centro Desportivo da cidade recebeu reforma na grama sintética e no alambrado.

O equipamento esportivo encontrava-se em estado precário e com várias falhas e buracos, o que poderia causar lesões aos jogadores. E para a execução do trabalho a Administração Regional de Candangolândia contou com a emenda parlamentar disponibilizada pelo deputado distrital Hermeto (MDB).

A medida deixou os esportistas satisfeitos. Raul Victor de Sousa Pereira, 22 anos, auxiliar administrativo, por exemplo, mora na Candangolândia há quatro anos e utiliza o espaço diariamente. Ele estava preocupado com os acidentes que poderiam ocorrer devido à falta de cuidados com o campo.

“O gramado sintético sempre foi muito utilizado, mas os tapetes estavam começando a se descolar. Estava ficando perigoso, pois se o nosso pé entrasse embaixo do gramado sintético poderia ocorrer uma lesão grave”, conta.

Também morador da Candangolândia, Tales Henrique de Sousa Pereira, 20 anos, consultor de vendas, ressalta a importância de valorizar o espaço que já foi, segundo ele, responsável por criar grandes amizades. “É um ambiente de bom convívio social. O pessoal se encontra muito para lazer e exercícios. A gente acaba conhecendo as pessoas da rua e fazendo muita amizade”, relata. “Essa reforma será muito bem recebida. E já que agora teremos tudo novinho é importante também que as pessoas cuidem do espaço que é nosso”, ensinou.

A liberação do espaço ainda não foi realizada devido à pandemia do Coronavírus “ O Campo está prontinho aguardando a pandemia passar para voltar a receber nossos atletas, que como eu adoram jogar um futebol. ” Concluiu Hermeto.

Por Larissa do Vale.




Em coletiva de imprensa virtual na tarde desta quarta-feira (29), foi apresentado o resultado de auditoria externa realizada nas contas do CLDF Saúde (Fundo de Assistência à Saúde dos Deputados Distritais e Servidores da CLDF – antigo Fascal)




O balanço, apresentado por atuários de consultoria independente e por técnicos da Casa, revela um superávit de R$ 3,160 milhões entre janeiro de 2019 e meados deste ano.

"Esta é a primeira vez que a CLDF abre as contas do Fascal para a sociedade. Também temos publicado no Diário da Câmara Legislativa os resultados da gestão do plano, o que mostra nosso compromisso com a transparência", afirmou o vice-presidente do Legislativo local, deputado Delmasso (Republicanos).

A partir da análise das receitas e despesas do plano de saúde, de 2019 a 2020, o atuário Dalmy Moreira Soares, da Wedan Consultoria, registrou ter havido redução nas despesas nos últimos períodos, acompanhada por incrementos nas receitas (mensalidades e coparticipações). "Isso tem reduzido a diferença entre os gastos assistenciais e a arrecadação", frisou.

Delmasso aproveitou para destacar que as mensalidades dos beneficiários do CLDF Saúde foram reajustadas em 132% – o que, avalia o distrital, contribuiu para aumentar a receita do plano. Além disso, segundo informou, houve uma "repactuação" de tabelas com os prestadores de serviços, reduzindo os valores e, por consequência, diminuindo as despesas do plano.

Gestão
O vice-presidente da Casa voltou a defender a necessidade de mudanças na forma de gestão do CLDF Saúde: "Nosso sonho é tornar o plano autossustentável e, para isso, precisamos implementar diversas ações na área". Ele lembrou que o pregão para a contratação de um sistema de serviços de gestão foi suspenso pelo Tribunal de Contas do DF, mas adiantou que todos os questionamentos feitos pela Corte já foram respondidos pela Casa. "Agora estamos trabalhando para ter uma resposta o mais rápido possível", concluiu. Segundo o secretário executivo da vice-presidência, Haendel Silva Fonseca, a expectativa é de que, com o novo sistema, o gasto com a gestão do plano seja reduzida em cerca de 90%.

Estatísticas
O relatório do cálculo atuarial divulgado nesta tarde revela estatísticas e o perfil dos associados ao Fascal. De janeiro de 2019 a junho de 2020, foi contabilizada uma média mensal de 5,4 mil usuários; dos quais 33% são titulares (servidores, comissionados e deputados); 20%, cônjuges; 35%, filhos e enteados, e 10%, pais/mães.

O levantamento mostra, ainda, as faixas etárias dos beneficiários, sendo que 23% têm 59 anos ou mais, e 20% têm entre 0 e 18 anos. Conforme Dalmy Soares, esse "equilíbrio" entre as faixas etárias é positivo, visto que as pessoas mais velhas costumam utilizar mais os planos de saúde, e os mais jovens quase não o fazem. O atuário destacou que os pais dos titulares (10% dos associados) respondem por 24% dos custos assistenciais.


As despesas assistenciais do CLDF Saúde somam uma média mensal de R$ 3,6 milhões – 40% gastos por titulares e 60% pelos dependentes.



Policiamento Vizinhança estabelece comunicação entre blocos ao desenvolver trabalho preventivo à criminalidade no Plano Piloto


Com mais de 30 anos de experiência, o porteiro Genilson Bertoldo da Conceição elogia a interação proporcionada pelo projeto: “Estamos todos os dias aqui, cada um no seu posto, e nem nos conhecíamos” | Fotos: Joel Rodrigues.

Há 35 anos na portaria do bloco J da 313 Sul, Genilson Bertoldo da Conceição, de 52 anos, passa a contar com um aliado na sua função: um radiocomunicador que o coloca em contato com os outros porteiros e síndicos da superquadra residencial.

Sob treinamento e coordenação do 1º Batalhão da Polícia Militar do DF, Genilson e seus colegas agora fazem parte do Policiamento Vizinhança. Em vigor na Asa Sul desde o início deste mês, o projeto é elaborado pela Secretaria de Segurança Pública (SSP), por meio da PM, em parceria com a comunidade.

O Policiamento Vizinhança é baseado em três pilares: aproximar a comunidade da Polícia Militar, integrar os moradores por meio de uma rede de comunicação e protegê-los. Com radiocomunicadores ligados 24 horas por dia, os porteiros e os síndicos dos 11 blocos podem falar entre si, comunicar movimentos estranhos e, no caso de identificá-los, avisar imediatamente a PM em um grupo de WhatsApp.

“Os porteiros funcionam como uma câmera viva da PM”, explica o comandante do 1º Batalhão da Polícia Militar, major Kotama. “Nós os treinamos para não reagirem nem se exporem ao perigo. Essa missão é nossa, por meio do repasse de informações fornecidas às nossas equipes de segurança”. Ele lembra que o policiamento já existe, mas agora ganha reforço com o projeto.

Técnicas de observação

Agentes de portaria se reúnem em torno de palestra proferida por policial especializada: técnicas compartilhadas tornam mais eficiente o trabalho de todos da comunidade

A primeira etapa do trabalho é feita por uma equipe de policiais que repassa aos agentes de portaria conhecimentos de observação, memorização e descrição – técnicas que ajudarão a PM na prevenção e na intervenção em algum crime. Há uma apostila com instruções, assim como um folder com informações básicas sobre o programa. Depois de instruídos, os porteiros recebem acompanhamento das equipes.

Programas semelhantes já existem na cidade, como o Rede de Vizinhos Protegidos do Lago Norte e um desenvolvido com proprietários de chácaras e fazendas das áreas rurais do DF. De acordo com o major Kotama, a comunidade da Asa Sul tem particularidades que merecem ser exploradas. “São moradores antigos, com casos de porteiros que estão há muitos anos na função e conhecem bem as rotinas de quem circula por lá, seja morador, seja visitante e até prestadores de serviços”.

“Juntos podemos muito”
Presidente do Sindicato dos Condomínios Residenciais e Comerciais do DF (Sindicondomínio) e síndico do bloco A da 313 Sul há nove anos, Antônio Carlos Paiva é um dos entusiastas do projeto. Sua expectativa é que aumente a segurança dos moradores – que enfrentam problemas como roubo de carros e furtos de rodas de veículos. “É um sonho ter uma ligação mais próxima com a Polícia Militar”, diz. “Os órgãos públicos sozinhos não podem tudo, mas nós todos juntos podemos muito”.

“É um sonho ter uma ligação mais próxima com a Polícia Militar. Os órgãos públicos sozinhos não podem tudo, mas nós todos juntos podemos muito”Antônio Carlos Paiva, presidente do Sindicondomínio.

Com experiência de mais de 30 anos na portaria do bloco J, o porteiro Genilson está satisfeito com as novas técnicas que aprendeu – e com seus novos instrumentos de trabalho. Para ele, poder se comunicar com seus colegas de quadra já é um ganho. “Estamos todos os dias aqui, cada um no seu posto, e nem nos conhecíamos”, conta.

Morador antigo no bloco, o síndico Pedro Félix, de 73 anos, está há poucos meses na função, mas reside por lá há duas décadas. Aposentado, ele comemora a possibilidade de entrosamento entre os vizinhos e com a PM em prol da segurança. “É também uma maneira de ter amizade com todos, de ninguém ter medo de ninguém e ainda ter a confiança da polícia”, destaca.

Novas quadras
O projeto piloto implementado na Superquadra Sul 313 já está em fase de expansão: será também levado para as superquadras 402 e 109. A servidora pública Gabriela Frota, de 34 anos, é síndica em um bloco da 402, localizada na área central da cidade. Com grande movimentação de pedestres, os moradores enfrentam, muitas vezes, problemas com usuários e traficantes tráfico de drogas.


“Estamos seguindo todas as orientações repassadas pela PM e cheios de expectativas, só aguardando a chegada dos equipamentos de segurança que adquirimos”, informa. Assim como ela, demais síndicos interessados em incluir suas quadras no Policiamento Vizinhança podem entrar em contato com o 1º Batalhão da Polícia Militar pelo telefone (61) 3190.0100.



O investimento em inteligência artificial visa colaborar com o trabalho das polícias no DF  

Foram instaladas na Candangolândia 12 câmeras de monitoramento, destas 8 são fixas e 4 móveis. A compra do material foi feita através de emenda parlamentar do deputado distrital Hermeto (MDB), que considera a segurança da comunidade uma prioridade em seu mandato.

As câmeras foram distribuídas conforme as manchas criminais identificadas pela secretaria de segurança pública, além das entradas e saídas da cidade e áreas comercias.

Jairo é proprietário do restaurante Capricho Gaúcho localizado na Rua dos Transportes, uma das principais vias da cidade e relatou ter tido sua loja arrombada pelo menos duas vezes, entre outras tentativas.

“Já passamos por problemas de arrombamento aqui algumas vezes e considero a instalação de câmeras de monitoramento muito importante para nós comerciantes, nos sentimos mais seguros, com o estabelecimento sendo vigiado. ”

Marcolina mora há mais de 40 anos na quadra 05 da Candangolândia e relatou que existem lugares específicos onde a criminalidade atua tranquilamente.

“Com as câmeras acho que vai diminuir bastante o tráfico de drogas explicito em certos lugares, os bandidos vão se sentir mais acuados. ” Completou a moradora.

O deputado distrital Hermeto também destinou emenda para a instalação de câmeras de monitoramento para o núcleo bandeirante, que já estão em funcionamento.

“Já conseguimos instalar algumas câmeras, mas estamos em busca de mais, com o baixo efetivo de policiais militares no momento, é importante investir em inteligência artificial, como forma de ajudar a manter a ordem e a segurança da comunidade. ” Finalizou o parlamentar.

Por Larissa do Vale.


O Deputado distrital Hermeto (MDB) é grande candidato a conselheiro do tribunal de contas do Distrito Federal



O ano de 2021 será marcado pela escolha de um novo Conselheiro do Tribunal de Contas do Distrito Federal, por conta da aposentadoria compulsória do conselheiro Paiva Martins, que completará 75 anos.

Na Câmara Legislativa tramita uma proposta que altera a forma de escolha dos conselheiros do TCDF. A próxima vaga de Conselheiro é exclusiva de auditores, porém o TCDF não possui nenhum auditor. Por isso a proposta deve ser alterada dando poderes para que a CLDF escolha o próximo Conselheiro.

Nos corredores do Palácio do Buriti corre o nome do deputado Hermeto. O distrital tem excelente relacionamento com o governador Ibaneis e pode vir a ter o padrinho como cabo eleitoral para a vaga do TCDF.

Tentamos contato com Hermeto, mas até o fechamento desta matéria não houve resposta.

Por Milton Gonçalves
Fonte: Edibrasília

 


Publicidade

Tecnologia do Blogger.