Quatro praças da Vila Planalto são inauguradas totalmente recuperadas

Foram investidos R$ 860 mil nas obras iniciadas em junho deste ano

Quatro praças da Vila Planalto foram entregues neste sábado (23) totalmente recuperadas e urbanizadas. A inauguração dos espaços contou com a presença do governador Agnelo Queiroz, que foi recepcionado por uma grande festa organizada pelos moradores da região. Foram investidos R$ 860 mil nas obras, iniciadas em junho deste ano.

“É uma honra estar aqui na Vila Planalto, cidade dos pioneiros, entregando essas praças, locais de tamanha importância para a qualidade de vida da população. Esse é o objetivo principal do nosso governo. E até o final do próximo ano entregaremos as escrituras aos moradores. Os processos já estão no cartório”, afirmou Agnelo.

O administrador de Brasília, Messias de Souza, também participou da solenidade e disse que a entrega desses locais era um pedido antigo dos moradores. “E uma ação que merece ser comentada é que pessoas que residem próximas às praças se disponibilizaram para serem agentes da comunidade e manter sempre conservados esses espaços de convivência”.
A iniciativa do governo foi muito elogiada pelos usuários. A dona de casa Janaína da Paz Costa, de 27 anos é uma das moradoras próxima da Praça Nelson Corso e aprovou as obras. “Moro há dez anos neste local e não frequentava a praça com meus quatro filhos porque vivia suja e com os brinquedos quebrados. Agora vou vir todos os fins de semana”.
Outra pessoa que apreciou a obra foi o pároco da Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Pompeia, padre Sérgio da Silva. “A revitalização desses espaços refletiu inclusive no número de frequentadores da igreja, que aumentou consideravelmente. Além disso, vejo mais famílias aproveitando o que a praça oferece”.
Foram recuperadas as praças Nossa Senhora da Pompeia, DFL, Nelson Corso e a praça A. Todas receberam piso de concreto estampado, bancos e mesas de concreto e paisagismo. Algumas também foram beneficiadas com playground, rampas de acessibilidade, pergolado, mesas de pingue pongue e Ponto de Encontro Comunitário (PEC).