HRT ganha brinquedoteca na área pediátrica

Objetivo do GDF é que o espaço promova a interação e o desenvolvimento dos pacientes em tratamento
O Hospital Regional de Taguatinga ganhou, nesta quarta-feira (18), uma nova brinquedoteca. Batizado 'Renato Russo', o espaço foi criado na ala pediátrica e deverá promover a interação física e psicopedagógica dos pacientes que estão internados na unidade de saúde.
 

"Estamos recebendo a sétima brinquedoteca inaugurada pela SES/DF, o que nos deixa muito honrados. Sabemos que esse novo serviço auxiliará, significativamente, o atendimento dos pacientes internados ou em consulta ambulatorial, na faixa etária de 0 a 14 anos", disse o coordenador-geral de Saúde de Taguatinga, Otávio Augusto de Siqueira.
 

O projeto da brinquedoteca Renato Russo foi idealizado pela ONG Amigos da Vida, em parceria com o Governo do Distrito Federal, e tem como madrinha Maria do Carmo Manfredini, mãe do cantor falecido.
 

Para a brinquedoteca, um espaço de 42 m² foi planejado e adaptado às crianças que poderão participar de atividades de entretenimento, individualmente ou em grupo, utilizando os brinquedos, assistindo a vídeos educativos e realizando leitura de livros e revistas.
 

"Estou muito feliz com essa brinquedoteca. A minha filha, Miriam, de 10 anos, está internada no HRT há dois meses e a partir de agora ela vai ter mais opções para estudar e brincar", aprovou a auxiliar de serviço gerais e moradora de Samambaia Norte, Raimunda Gomes Silva.
 

A pedagoga da Secretaria de Educação, que trabalha no HRT, Sandra Lima, destacou o caráter pedagógico que será desenvolvido na brinquedoteca. Para ela, o local servirá como um ponto de apoio para melhorar a qualidade de vida das crianças internadas.
 

"Esse novo espaço é um sonho realizado que se soma ao trabalho da classe hospitalar. Queremos reconstruir, por intermédio do estudo e da brincadeira lúdica, um mundo melhor para essas crianças que sofreram alguma perda, inclusive da saúde", acrescentou.
 

Ao todo, de janeiro a outubro, foram realizadas 51.553 mil consultas ambulatoriais e 43.372 mil atendimentos no setor de Emergência. Nesse período, 2.283 crianças ficaram internadas.