CLDF Saúde acumula superávit de R$ 3,1 milhões e abre contas para sociedade



Em coletiva de imprensa virtual na tarde desta quarta-feira (29), foi apresentado o resultado de auditoria externa realizada nas contas do CLDF Saúde (Fundo de Assistência à Saúde dos Deputados Distritais e Servidores da CLDF – antigo Fascal)




O balanço, apresentado por atuários de consultoria independente e por técnicos da Casa, revela um superávit de R$ 3,160 milhões entre janeiro de 2019 e meados deste ano.

"Esta é a primeira vez que a CLDF abre as contas do Fascal para a sociedade. Também temos publicado no Diário da Câmara Legislativa os resultados da gestão do plano, o que mostra nosso compromisso com a transparência", afirmou o vice-presidente do Legislativo local, deputado Delmasso (Republicanos).

A partir da análise das receitas e despesas do plano de saúde, de 2019 a 2020, o atuário Dalmy Moreira Soares, da Wedan Consultoria, registrou ter havido redução nas despesas nos últimos períodos, acompanhada por incrementos nas receitas (mensalidades e coparticipações). "Isso tem reduzido a diferença entre os gastos assistenciais e a arrecadação", frisou.

Delmasso aproveitou para destacar que as mensalidades dos beneficiários do CLDF Saúde foram reajustadas em 132% – o que, avalia o distrital, contribuiu para aumentar a receita do plano. Além disso, segundo informou, houve uma "repactuação" de tabelas com os prestadores de serviços, reduzindo os valores e, por consequência, diminuindo as despesas do plano.

Gestão
O vice-presidente da Casa voltou a defender a necessidade de mudanças na forma de gestão do CLDF Saúde: "Nosso sonho é tornar o plano autossustentável e, para isso, precisamos implementar diversas ações na área". Ele lembrou que o pregão para a contratação de um sistema de serviços de gestão foi suspenso pelo Tribunal de Contas do DF, mas adiantou que todos os questionamentos feitos pela Corte já foram respondidos pela Casa. "Agora estamos trabalhando para ter uma resposta o mais rápido possível", concluiu. Segundo o secretário executivo da vice-presidência, Haendel Silva Fonseca, a expectativa é de que, com o novo sistema, o gasto com a gestão do plano seja reduzida em cerca de 90%.

Estatísticas
O relatório do cálculo atuarial divulgado nesta tarde revela estatísticas e o perfil dos associados ao Fascal. De janeiro de 2019 a junho de 2020, foi contabilizada uma média mensal de 5,4 mil usuários; dos quais 33% são titulares (servidores, comissionados e deputados); 20%, cônjuges; 35%, filhos e enteados, e 10%, pais/mães.

O levantamento mostra, ainda, as faixas etárias dos beneficiários, sendo que 23% têm 59 anos ou mais, e 20% têm entre 0 e 18 anos. Conforme Dalmy Soares, esse "equilíbrio" entre as faixas etárias é positivo, visto que as pessoas mais velhas costumam utilizar mais os planos de saúde, e os mais jovens quase não o fazem. O atuário destacou que os pais dos titulares (10% dos associados) respondem por 24% dos custos assistenciais.


As despesas assistenciais do CLDF Saúde somam uma média mensal de R$ 3,6 milhões – 40% gastos por titulares e 60% pelos dependentes.